segunda-feira, 11 de abril de 2011

2011 É O ANO DE MUITAS CONSAGRAÇÕES E HOMENAGENS A HISTORIADORA, ESCRITORA E POETISA LÚCIA HELENA PEREIRA.


Lúcia Helena já recebeu muitas homenagens e consagrações, já desempenhou importantes funções e  foi eleita para importantes cargos representativos a nível nacional e regional de Instituições ligadas ao jornalismo, a literatura e poesia, e a  cultura, diz Carlos Morais dos Santos, escritor, poeta, administrador e editor do blog Cultura e Afetos Lusófonos de Lisboa/Portugal.
Ela foi homenageada nesse ano de 2011 como a mulher do Estado do Rio Grande do Norte, em Natal e eleita para a Academia Cearamirinense de Letras e para a Academia Teófilo Otoni, em Minas Gerais.

Parabéns Poetisa!

 ERA TUDO QUE EU QUERIA
Lúcia Helena Pereira 

Era tudo que eu queria: uma flor singela,
De qualquer cor, com perfume almiscarado,
Pétalas macias, balançando-se ao vento.

Queria o teu silêncio de prontidão,
Anunciando auroras e crepúsculos
Com trombetas sincronizando teu pensamento,
E que eu pudesse ouvi-lo, como canção.

Era tudo o que eu queria: um leve olhar,
Mão de carícia em minha leve ânsia
Suspiro de amor - chama de poesia!

Queria a tua essência em mim, comovida,
Descansando a dor, o sofrimento,
E repousando em leve sono e carinhoso aconchego
Adormecendo em meu seio rosado.

Era tudo que eu queria: teu lábio doce
Molhado do azul rasgando a nuvem
Enquanto eu pudesse beijá-lo, suavemente!

Queria o sortilégio de ser teu pensamento num minuto.
Ilusões esfregando-se em delirantes sensações
E um halo aromatizando jasmins
Num canto bom do seu jardim encantado.

Era tudo que eu queria: de sua presença-ausente,
Vindo em minha direção, num abraço simples,
E um cochicho morno aventurando-se em meu ouvido.

Queria esse seu olhar demorado em minhas entranhas,
Descobrindo caminhos bem escondidos, festivos
Abrindo-se como a flor... abrindo-se
E sua natureza me penetrando, com profundidade.

Era tudo que eu queria, naquela noite, Imagens
Onde a timidez e o recato se sobressaíram
E o tempo - zombeteiro - festejou a recusa dolorida!

Queria sua mão sensual, humedecida em minha lágrima,
Vazando do meu olhar pequenino - lago de desejos,
Num som de águas inquietas...frenéticas, deslizantes
Jorrando de minhas esperas e orgasmos brancos.

Era tudo que eu mais queria!

Nenhum comentário:

Postar um comentário