quinta-feira, 7 de abril de 2011

NOVA LITERATURA POÉTICA POTIGUAR


Um infante chorão se fez homem e concretizou as profecias de um cantador tornando-se não só poeta, músico e compositor, mas também um professor pesquisador, que hoje nos presenteia com essa incomensurável obra recheada de poesias, músicas, imagens, história da língua Tupi e histórias de amores numa apologia a sua terra natal, Nísia Floresta.
Eduardo Torres Cordeiro, autor dessa linda obra, é esposo, pai, amigo e profissional dedicado na jornada diária da vida, e nesse momento, digno de parabéns, pois sua obra como diz seu prefaciador Jorge Januário de Carvalho, “[...] resgata em nós um espírito de respeito, valorização e amor ao patrimônio histórico, cultural e natural de nossa gente.” Nos leva ainda a uma nostalgia incontrolável dos infantes que outrora fomos, remetendo a todos que tenha origem em outras terras a sentir saudades das mesmas, como ele sente “Saudades de Nísia” e nos transmite em “Um caderno de música e poesia.”
Ozany Gomes

 Professor Eduardo Cordeiro

Um dos poemas do livro Saudades de Nísia:

Carcará

Lembro, numa boa, quando ia pra lagoa para relaxar.
Curtir minhas amizades.
Ai, meu Deus, quantas saudades de minha Carcará!
Cenário de felicidade dentre tantas 
Paisagens de minha Papary.
Cenário de minha velha infância.
Vixe, quanta abundância! Como fui feliz!

Às vezes de madrugada, 
numa noite enluarada, violão na mão.
A lua por testemunha. Salvo, digo sua Alcunha
em forma de canção.
Fim de semana já chegou.
Agora pego meu amor e vamos curtir.
Lagoa do Carcará. A mais linda lagoa de minha Papary.

Ah, Carcará! Pedaço do meu coração.
Faz parte da minha história.
Guardo vivo na memória e faz parte da canção.
Ah, Carcará! Pedaço do céu!
Tentei traduzir teu encanto
Em poesia, verso e canto, 
Num pedaço de papel.


Um comentário:

  1. Ah, amiga! Queria ter esse seu gracejo com as palavras para poder expressar minha satisfação e felicidade por suas exímias colocaçõe sobre mim... Não as mereço! És, e tão só és, como arauto medievo que propaga aos quatro ventos a cultura potiguar, hoje, tão desmerecida por seus filhos... São pessoas como você que fazem a diferença...
    Com emoções e agradecido,
    Professor Eduardo Torres Cordeiro.

    ResponderExcluir