sexta-feira, 3 de junho de 2011

MOMENTO DA TROVA POTIGUAR

Ademar Macedo

A FLORESTA VEM SOFRENDO,
CORTES PROFUNDOS NO PEITO...
TAL QUAL RIO QUE ESTÁ VENDO
JOGAREM LIXO EM SEU LEITO...

Djalma alves da Mota

ÁGUAS TURVAS POLUÍDAS,
POR AÇÕES IRRACIONAIS,
ABRINDO NOVAS FERIDAS
NAS NOSSAS FONTES VITAIS

Francisco Macedo

AO VER DE UMA ÁRVORE O CORTE,
MINHA ANGÚSTIA É PARALELA...
EU SINTO AS DORES DA MORTE,
NA DOR DOS GEMIDOS DELA.


Um comentário:

  1. Excelentes trovas! Mostram de forma magistral o que está ocorrendo com o nosso meio ambiente. parabéns aos autores!

    ResponderExcluir