domingo, 18 de dezembro de 2011

FORMATURA DO PROERD EM PARNAMIRIM



PROERD é a sigla para Programa Educacional de Resistência às Drogas. Um projeto que une ações da Família, da Escola e da Polícia Militar, com o objetivo de conscientizar as crianças em relação ao não uso de drogas. Em Parnamirim o programa atingiu mais de quatro mil crianças somente em 2011, a finalização aconteceu no dia 17 de dezembro, no mesmo espaço montado para o Espetáculo Asas da História, onde o poeta José Acaci teve a honra de abrir o show da Diva da música brasileira Marina Elali.
Vejam algumas fotos:







quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

ESPETÁCULO "UM PRESENTE DE NATAL"


O espetáculo “Um presente de Natal” foi vencedor do Prêmio FUNARTE de Festivais de Artes Cênicas, trouxe, em dezembro do ano passado, muitas surpresas e teve como foco a celebração da capital potiguar. “O espetáculo foi montado para celebrar a cidade do Natal, falando do amor à cidade, mas com um grito de alerta, passando a mensagem de que temos muita arte, que o turismo não se faz só e que temos de valorizar nossa cultura”, diz Diana Fontes, idealizadora, coordenadora geral e roteirista do Auto de Natal
Generosidade, fraternidade e amor ao próximo foram colocados em foco como boas ações humanas. Uma das grandes atrações foi um coro formado por 230 estudantes de escolas públicas estaduais, com idades entre 12 e 16 anos. Além de cantar, os alunos fizeram evoluções teatrais durante a apresentação. Ao todo foram 65 intérpretes, entre atores e bailarinos.
“Um Presente de Natal” existe há 15 anos e foi idealizado inicialmente para o centro da cidade, com o objetivo de oferecer arte à população menos favorecida, e surgiu como opção de lazer e fortalecimento dos folguedos natalinos. O espetáculo tem parceria com o Núcleo de Arte e Cultura (NAC) da UFRN.

Fonte: DIÁRIO DE NATAL

PARADOXO EUNIVERSAL... UMA OBRA POÉTICA ADMIRÁVEL


Maurício Cardoso Garcia mostra-nos no seu Paradoxo Euniversal, poemas que nos leva a refletir sobre a essência do ser humano em harmonia ou não com seu eu, com o outro ou com a natureza, tendo como base o amor, tão imprescindível em todos os ciclos de vida de todos os seres viventes nesse planeta, como também, a valorização do ser e não a do ter, tão presente na sociedade contemporânea, em nome do progresso, imposto pelo capitalismo.
Os variados temas utilizados em toda sua obra suscitam diálogos filosóficos, buscando mostrar que a compreensão do paradoxo leva ao equilíbrio, pois a maioria das coisas que buscamos muitas vezes é contrária ao que queremos, e o que queremos quase sempre é conquistado com essas diferenças.
Só mesmo um poeta filósofo de tamanha sensibilidade como MC Garcia para pensar em tantos paradoxos poeticamente, dando ênfase ao nosso desejo de nos banharmos nesse rio paradoxal e nos divertirmos com o poder das palavras junto com ele.
Ozany Gomes

Poema extraído do livro:

Homem paradoxo

Afinal quem somos?!!!
Somos o que não somos
Somamos e não amamos...
Somos o objetivo do motivo
Sem motivo pessoal
Mas extremamente capital.

Quem afinal somos?!!!
Finalmente somos o que queremos
Sem querermos para sobrevivermos.
Somos a realização do que nunca fomos
Nem sonhamos no desejo de terceiros
Nem realidade dos outros...

Quem somos afinal?!!!
Somos sem afinal infinitamente
A essência própria de todas as milacrias
Sem e com alegria extasia utopia...
Somos e somamos todas as crias das ias
Que vai da democracia à hipocrisia
Com identidade da contradição
Somos a metaforização
Da MULHER PARADOXO
A poesia da negação.

NOVA OBRA POÉTICA POTIGUAR


Um infante chorão se fez homem e concretizou as profecias de um cantador tornando-se não só poeta, músico e compositor, mas também um professor pesquisador, que hoje nos presenteia com essa incomensurável obra recheada de poesias, músicas, imagens, história da língua Tupi e histórias de amores numa apologia a sua terra natal, Nísia Floresta.
Eduardo Torres Cordeiro, autor dessa linda obra, é esposo, pai, amigo e profissional dedicado na jornada diária da vida, e nesse momento, digno de parabéns, pois sua obra como diz seu prefaciador Jorge Januário de Carvalho, “[...] resgata em nós um espírito de respeito, valorização e amor ao patrimônio histórico, cultural e natural de nossa gente.” Nos leva ainda a uma nostalgia incontrolável dos infantes que outrora fomos, remetendo a todos que tenha origem em outras terras a sentir saudades das mesmas, como ele sente “Saudades de Nísia” e nos transmite em “Um caderno de música e poesia.”

Ozany Gomes

NOVO LIVRO DO POETA JOSÉ ACACI


“A humanização é a salvação da humanidade”, foram as palavras proferidas por Edgar Morin para um numeroso público de acadêmicos em uma palestra realizada em 2010, na UFRN, Campos de Natal.  Estas palavras, fruto de uma análise aguçada da real situação em que vivemos, fizeram-me refletir o quanto é importante para educadores e artistas engajarem-se nessa perspectiva humanizadora, como o saudoso Paulo Freire mencionava em suas teorias,  pois é através da educação e da arte em todas as suas vertentes, que poderá haver uma sensibilização nesse sentido.
Quando li o livro “CONSELHOS PRA JUVENTUDE”, do professor e poeta José Acaci, vi que o caminho a ser trilhado em busca da conscientização dos jovens nas questões ligadas a humanização da sociedade estava sendo ladrilhado, não por pedras de brilhantes, mas por palavras poéticas cheias de bons conselhos, que chegarão com muito carinho aos corações de todos.
Segundo o Poeta Carlos Magno, o que pode ser visto nos poemas de Acaci são “palavras se plasmando num entrelace de amor a cultura popular”.  Ressalto que, além do seu imenso amor a cultura, ele também estabelece um compromisso precioso com a educação dos jovens, que como bem disse o Jornalista e Professor Iran Marrocos, “[...]são o presente e a mola que ampara e amacia os passos do futuro”.
E como diz os versos: “Não deixe pro fim da vida aquela palavra amiga”, não poderia deixar de falar que o mais novo filho literário, “CONSELHOS PRA JUNVENTUDE”, do grande poeta e educador José Acaci  é uma obra de inestimável valor didático para todos os professores, que assim como ele, preocupam-se em ajudar na disseminação da cultura, dos bons valores e principalmente, da humanização.

Ozany Gomes